Criar um Site Grátis Fantástico
Free Translation Widget
Ultimas Atualizações
VIRTUALLYTON.ORG  (20-03-2018)
SAÚDE E MEIO AMBIENTE  (20-03-2018)
Shows e Eventos  (20-03-2018)
Informativo Raízes d  (20-03-2018)
  • Currently 2.84/5

Rating: 2.8/5 (457 votos)




ONLINE
1





Partilhe esta Página





 t

VIRTUALLYTON.ORG

CONCURSOS

(A figura abaixo é somente demonstrativo

os anuncios são antigos-clic link para

encontrar o jornal atualizado)  >

 www.folhadirigida.com.br/

tr

 SALVE SÃO JORGE TODOS OS DIAS

O

 ESPAÇO RESERVADO PARA 

SEU ANUNCIO. CONTATO

virtuallyton@gmail.com

LER FAZ BEM A SAÚDE

 

 

Notícias

14 de novembro

UNESPAR realiza amanhã

o Vestibular 2017/2018

15:11 A Universidade

Estadual do Paraná (UNESPAR)

realiza neste feriado (15) as provas

do Vestibular 2017/2018. Confira

o ensalamento. Amanhã serão

aplicadas […]

UFBA divulga resultado do

Vestibular EaD 2017/2

14:51 A Universidade

Federal da Bahia (UFBA) divulgou

o resultado do Vestibular EaD

2017/2. Confira a lista de classifi-

cação. Os candidatos aprovados

deverão […]


Programa oferece curso de

"Educação para a Democracia"

aos profissionais de Escolas

Públicas

16:42 A Câmara dos

Deputados abriu as inscrições para a

8ª edição do Missão Pedagógica no

Parlamento. A iniciativa visa capacitar […]

ESPM-Rio de Janeiro encerra

amanhã as inscrições do Vesti

bular 2018

14:50 A Escola Superior

de Propaganda e Marketing (ESPM) 

encerra amanhã (14) as inscrições do Ves

tibular 2018/1 para o Rio de Janeiro (RJ). […]

ENCCEJA 2017 será aplicado

para mais de 1,5 milhão

de estudantes

14:35 O Exame Nacional

para Certificação de Competências de Jovens

e Adultos (ENCCEJA Nacional) destinado

às pessoas que não concluíram os estudos na […]

UPF encerra hoje as inscrições do Vestibular de Verão 2018

13:55 A Universidade de Passo Fundo (UPF), no Rio Grade do Sul, termina nesta segunda-feira (13) o prazo de inscrições do […]

Associação Budista SGI Clama Pela Abolição Nuclear Como Imperativo Moral Em Conferência No Vaticano

06:03 TÓQUIO, 13 de novembro de 2017 /PRNewswire/ -- Hiromasa Ikeda, vice-presidente da associação budista Soka Gakkai Internacional (SGI) juntou-se a outros […]

11 de novembro

UFRR divulga locais de provas do Vestibular e PSS 2018

15:26 A Universidade Federal de Roraima (UFRR) divulgou ontem (10) os locais de provas do Vestibular e do Processo Seletivo Seriado […]

Inscrições para o Prêmio INEP de Jornalismo 2017 encerram segunda-feira

14:45 O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) encerra na próxima segunda-feira (13) as inscrições para o Prêmio INEP de Jornalismo. A […]

UFPE recebe inscrições para seu Vestibular de Música 2018 até amanhã

14:35 A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) encerra amanhã (12) as inscrições para o Vestibular de Música 2018. Os interessados podem se candidatar na […]

Segundo dia de prova do ENEM 2017 acontece amanhã; horário de acesso ao local será o mesmo

14:16 O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2017 realiza neste domingo (12) o segundo e último dia de provas. Serão aplicadas […]

10 de novembro

UEPG divulga locais de provas do Vestibular de Verão 2017

13:37 A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no Paraná, publicou os locais de provas do Vestibular de Verão 2017. Confira o […]

UEM divulga ensalamento do Vestibular de Verão 2017

13:15 A Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, divulgou o ensalamento do Vestibular de Verão 2017. Os candidatos devem acessar o […]

UFSC apresenta hoje o espetáculo sobre a vida de Albert Einstein; entrada é aberta ao público e gratuita

10:56 O Grupo Pesquisa Teatro Novo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) apresenta nesta sexta-feira (10), o Espetáculo Luz em Einstein. […]

Unioeste divulga locais de provas do Vestibular 2018

10:00 Os candidatos do Vestibular 2018 da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) já podem conferir os locais de provas na página do […]

09 de novembro

UEFS encerra amanhã as inscrições do PROSEL 2018/1

16:12 A Universidade Estadual de Feira Santana (UEFS), na Bahia, encerra sexta-feira (10) as inscrições do Processo Seletivo para Acesso ao Ensino Superior […]

INEP divulga locais de provas do ENCCEJA 2017

15:47 O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) divulgou ontem (8) os locais de provas do Exame Nacional para Certificação de […]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O curso de fotografia da Fundação Bradesco é perfeito para fotógrafos iniciantes e que possuem pouca experiência sobre a áreas. Ele tem uma carga horária de 27 horas aula, Ele fornece dicas eficazes para fotografar melhor e mostra elementos importantes para compor boas fotos.

Link: https://www.ev.org.br/Paginas/Home.aspx


VIRTUALLYTONNEWS NOTÍCIAS
VIRTUALLYTONNEWS NOTÍCIAS

  Jornalismo

     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
 
Jornalismo
Diário.svg
Tópicos de Jornalismo
Artigo principal
Jornais e revistas
Jornalistas
Mídias
JornalRevistaRádioTelevisão
CinemaAgência de notíciasPodcast
Linguagens
FotojornalismoRadiojornalismo
TelejornalismoDigitalCinejornalismo
Funções e Processos
PautaReportagemApuração
RedaçãoRevisãoEdição
DiagramaçãoInfografiaFotografia
CâmeraVideorreportagemLocução
ÂncoraCorrespondência (de Guerra)
CríticaEditorialOmbudsman
Assessoria de imprensaFreelance
ColunistaComercialImpressão
DistribuiçãoJornaleiro
Especializações e Estilos
InternacionalPolíticaEconomia
CidadeCiênciaCulturaEsportes
TurismoMeio AmbienteEducação
ComportamentoPolíciaInvestigação
AlternativoJurídicoLegislativo
InstitucionalEmpresarialSindical
CívicoCidadãoComunitárioBairrosServiços
New journalismLiterárioGonzo
MarromLivro-reportagem
Metajornalismo
Conceitos
NotíciaImprensaMídiaComunicação
MatériaArtigoManchete
LeadFuroFonteEntrevistaColetiva
ÉticaFraudeSensacionalismoPaparazzo
Faits diversValor-notíciaPirâmide invertida
CensuraLiberdade de imprensa
Formatos
BerlinenseStandardTabloideCompacto
Outros tópicos
Escola de jornalismoTécnica de redaçãoOp-Ed
PlantãoPrêmio PulitzerPrêmio EssoRSFNewsroom

Jornalismo é a atividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. Também define-se o Jornalismo como a prática de coletar, redigir, editar e publicar informações sobre eventos atuais. Jornalismo é uma atividade de Comunicação.

Ao profissional desta área dá-se o nome de jornalista. O jornalista pode atuar em várias áreas ou veículos de imprensa, como jornais, revistas, televisão, rádio, websites, weblogs, assessorias de imprensa, entre muitos outros.

História

O mais antigo jornal que se tem notícia foi o Acta Diurna, que surgiu por volta de 59 a.C., a partir do desejo de Júlio Cesar de informar a população sobre fatos sociais e políticos ocorridos no império, como campanhas militares, julgamentos e execuções.[1] As notícias eram colocadas em grandes placas brancas expostas em local de grande acesso ao público. Na China, jornais escritos a mão surgiram no século VIII.[1]

A partir da invenção de Johannes Gutenberg, em 1447, surgiram os jornais modernos, que tiveram grande circulação entre comerciantes, para a divulgação de notícias marcantes. Havia ainda jornais sensacionalistas escritos a mão, como o que noticiou as atrocidades ocorridas na Transilvânia, feitas por Vlad Tsepes Drakul, mais conhecido como Conde Drácula.[1] Em Veneza, o governo lançou o Notizie scritte, em 1556, ao custo de uma pequena moeda que ficou conhecida como "gazetta".[1]

A publicação periódica iniciou-se na Europa Ocidental a partir do século XVII, como o Avisa Relation oder Zeitung, surgido na Alemanha em 1609. O London Gazette, lançado em 1665, ainda mantém-se até a atualidade, agora como publicação oficial do Judiciário.[1] Esses jornais davam pouca atenção a assuntos nacionais, preferindo focar-se em fatos negativos ocorridos em outros países, como derrotas militares e escândalos envolvendo governantes.[1] Os assuntos locais passaram a ser mais abordados na primeira metade do século XVII, mas a censura era uma prática comum, não sendo possível noticiar algo que pudesse provocar insatisfação popular contra o governo. A primeira lei protegendo a liberdade de imprensa foi aprovada na Suécia em 1766.[1]

Com a invenção do telégrafo, em 1844, as notícias passaram a circular muito mais rapidamente, gerando uma grande mudança no jornalismo.[1] Em meados do século XIX, os jornais já eram o principal veículo de transmissão das informações, passando a surgir grandes grupos editoriais, que tinham grande capacidade de influência.

Nos anos 1920, o surgimento do rádio novamente transformou o jornalismo, o que voltou a acontecer a partir dos anos 1940 com o surgimento da televisão. A partir do fim dos anos 1990, a internet trouxe volume e atualização de informações sem precedentes.[1]

 Notícia

A notícia é um formato de divulgação de um acontecimento por meios jornalísticos. É a matéria-prima do Jornalismo, normalmente reconhecida como algum dado ou evento socialmente relevante que merece publicação numa mídia. Fatos políticos, sociais, econômicos, culturais, naturais e outros podem ser notícia se afectarem indivíduos ou grupos significativos para um determinado veículo de imprensa. Geralmente, a notícia tem conotação negativa, justamente por ser excepcional, anormal ou de grande impacto social, como acidentes, tragédias, guerras e golpes de estado. Notícias têm valor jornalístico apenas quando acabaram de acontecer, ou quando não foram noticiadas previamente por nenhum veículo. A "arte" do Jornalismo é escolher os assuntos que mais interessam ao público e apresentá-los de modo atraente. Nem todo texto jornalístico é noticioso, mas toda notícia é potencialmente objeto de apuração jornalística.

Primeiro jornal Português
                         

Quatro fatores principais influenciam na qualidade da notícia:

  1. Novidade: a notícia deve conter informações novas, e não repetir as já conhecidas
  2. quanto mais próximo do leitor for o local do evento, mais interesse a notícia gera, porque implica mais diretamente na vida do leitorProximidade:
  3. tanto o que for muito grande quanto o que for muito pequeno atrai a atenção do públicoTamanho:
  4. Relevância: notícia deve ser importante, ou, pelo menos, significativa. Acontecimentos banais, corriqueiros,
  5.  geralmente não interessam ao público

 

 

 

Primeiro jornal Brasileiro

 

 

 

Notícias chegam aos veículos de imprensa por meio de repórteres, correspondentes, agências de notícias e assessorias de imprensa. Eventualmente, amigos e conhecidos de jornalistas fornecem denúncias, sugestões de pauta, dicas e pistas, às vezes no anonimato, pelo telefone ou por e-mail.

Nos EUA, é comum a figura do news-hawk (gavião-de-notícia), uma espécie de informante-apurador contratado pelo jornal, que anda em busca de assuntos que potencialmente possam gerar notícias.

Trabalho do jornalista

A atividade primária do Jornalismo é a observação e descrição de eventos, conhecida como reportagem

  • "O quê?" - O fato ocorrido.
  • "Quem?" - O personagem envolvido.
  • "Quando?" - O momento do fato.
  • "Onde?" - O local do fato.
  • "Como?" - O modo como o fato ocorreu.
  • "Porquê?" - A causa do fato.
 
 
Uma rotativa, máquina que imprime jornais

A essência do Jornalismo, entretanto, é a seleção e organização das informações no produto final (jornal, revista, programa de TV etc.), chamada de edição.

O trabalho jornalístico consiste em captação e tratamento escrito, oral, visual ou gráfico, da informação em qualquer uma de suas formas e variedades. O trabalho é normalmente dividido em quatro etapas distintas, cada qual com suas funções e particularidades: pauta, apuração, redação e edição.

  • A é a seleção dos assuntos que serão abordados. É a etapa de escolha sobre quais indícios ou sugestões devem ser considerados para a publicação final.pauta
  • A é o processo de averiguar informação em estado bruto (dados, nomes, números etc.). A apuração é feita com documentos e pessoas que fornecem informações, chamadas de . A interação de jornalistas com suas fontes envolve freqüentemente questões de confidencialidade.apuraçãofontes
  • A é o tratamento das informações apuradas em forma de texto verbal. Pode resultar num texto para ser impresso (em jornais, revistas e sites) ou lido em voz alta (no rádio, na TV e no cinema).redação
  • A é a finalização do material redigido em produto de comunicação, hierarquizando e coordenando o conteúdo de informações na forma final em que será apresentado. Muitas vezes, é a edição que confere sentido geral às informações coletadas nas etapas anteriores. No ( e ), a edição consiste em revisar e cortar textos de acordo com o espaço de impressão pré-definido. A é a disposição gráfica do conteúdo e faz parte da edição de impressos. No , editar significa cortar e justapor trechos sonoros junto a textos de locução, o que no ganha o adicional da edição de imagens em movimento.ediçãojornalismo impressojornaisrevistasdiagramaçãoradiojornalismotelejornalismo

Estas três mídias citadas têm limites de espaço e tempo pré-definidos para o conteúdo, o que impõe restrições à edição. No chamado webjornalismo, ciberjornalismo ou "jornalismo online", estes limites teoricamente não existem.

A inexistência destes limites começa pela potencialidade da interação no jornalismo online, o que provoca um borramento entre as fronteiras que separam os papéis do emissor e do receptor, anunciando a figura do interagente. Esta prática tem se difundido como "jornalismo open source", ou o jornalismo de código aberto, onde informações são apuradas, redigidas e publicadas pela comunidade sem a obrigação de serem submetidas às rígidas rotinas de produção e às estruturas organizacionais das empresas de comunicação.

De acordo com a pesquisadora Catarina Moura, da Universidade da Beira Interior (Portugal), Jornalismo Open Source "implica, desde logo, permitir que várias pessoas (que não apenas os jornalistas) escrevam e, sem a castração da imparcialidade, dê em a sua opinião, impedindo assim a proliferação de um pensamento único, como o pode ser aquele difundido pela maioria dos jornais, cuja objectividade e imparcialidade são muitas vezes máscaras de um qualquer ponto de vista que serve interesses mais particulares que apenas o de informar com honestidade e isenção o público que os lê".[2]

 O Jornalismo é realizado em uma grande variedade de mídias: jornais, televisão, rádio e revistas, além do mais recente jornalismo online na Internet. Cada tipo de mídia define um determinado suporte, ou seja: papel, som, celulóide ou vídeo, por radiodifusão ou teledifusão eletrônicas.

Ver também Jornalismo online, Telejornalismo e Radiojornalismo

 Funções jornalísticas

As funções que os jornalistas podem exercer na profissão variam de mídia para mídia, de canal para canal e de veículo para veículo. Às vezes a mesma função recebe nomes distintos em empresas diferentes. Basicamente, as três funções fundamentais são a reportagem (coleta de informações), a redação (organização destas em texto) e a edição (seleção e hierarquização das informações no produto final).

Função Impresso Rádio TV Digital
Edição Editor, Editor-Chefe, Sub-Editor Editor Editor Editor, Editor de Capa
Redação Redator, Articulista, Colunista, Crítico, Revisor Redator Editor de Texto Webwriter (Editor de Página), Redator
Reportagem Repórter, Apurador, Pauteiro Repórter Repórter, Video repórter, Produtor Repórter
Imagens Fotógrafo, Editor de Imagen ---- Cinegrafista
Apresentação ---- Locutor Apresentador
Formatação Diagramador Editor de Som Editor de Imagens  
Arte Infografista, Ilustrador, Cartunista Sonoplasta Videografista  
Técnica Gráfico Operador de áudio Iluminador Programador

Funções auxiliares:

Funções extra-redação:

O texto jornalístico

Durante décadas, a máquina de escrever foi símbolo do jornalismo

O produto da atividade jornalística é geralmente materializado em textos, que recebem diferentes nomenclaturas de acordo com sua natureza e objetivos. Uma matéria é o nome genérico de textos informativos resultantes de apuração, incluindo notícias, reportagens e entrevistas. Um artigo é um texto dissertativo ou opinativo, não necessariamente sobre notícias, e nem necessariamente escrito por um jornalista.

Redatores geralmente seguem uma técnica para hierarquizar as informações, apresentando-as no texto em ordem decrescente de importância. Esta técnica tem o nome de pirâmide invertida, pois a "base" (lado mais largo, mais importante) fica para cima (início do texto) e o "vértice" (lado mais fino, menos relevante) fica para baixo (fim do texto). O primeiro parágrafo, que deve conter as principais informações da matéria, chama-se "lead" (do inglês, principal). O texto é geralmente subdividido em "capítulos" agrupados por tema, chamados retrancas e sub-retrancas, ou matérias coordenadas.

O conjunto de técnicas e procedimentos específicos para a atividade de redação jornalística é chamado de técnica de redação.

As matérias apresentam, quase sempre, relatos de pessoas envolvidas no fato, que servem para tanto validar (por terceiros) as afirmativas do jornal (técnica chamada de documentação) quanto para provocar no leitor a identificação com um personagem (empatia). No jargão jornalístico, os depoimentos destes personagens chamam-se aspas.

Apesar de as matérias serem geralmente escritas em estilo sucinto e objetivo, devem ser revisadas antes de serem publicadas. O profissional que exerce a função de revisão, hoje figura rara nas redações, é chamado de revisor ou copy-desk.

 Tipos de texto jornalístico

  • - de carácter objectivo, composto pelo Lead e o corpo da notícia:notícia
    • No Lead tenta-se responder a seis perguntas: quem , o quê , onde , quando , porque ,como , a ausência destas pode dever-se a dados não apurados;
    • No corpo da notícia desenvolve-se gradualmente a informação em cada parágrafo, por isso a informação é cada vez mais elaborada, detalhada.
  • matéria- todo texto jornalístico de descrição ou narrativa factual. Dividem-se em matérias "quentes" (sobre um fato do dia, ou em andamento) e matérias "frias" (temas relevantes, mas não necessariamente novos ou urgentes). Existem ainda os seguintes subtipos de matérias:
    • matéria leve ou feature - texto com informações pitorescas ou inusitadas, que não prejudicam ou colocam ninguém em risco; muitas vezes este tipo de matéria beira o entretenimento
    • suíte - é uma matéria que dá seqüência ou continuidade a uma notícia, seja por desdobramento do fato, por conter novos detalhes ou por acompanhar um personagem
    • perfil - texto descritivo de um personagem, que pode ser uma pessoa ou uma entidade, um grupo; muitas vezes é apresentado em formato testemunhal
    • entrevista - é o texto baseado fundamentalmente nas declarações de um indivíduo a um repórter; quando a edição do texto explicita as perguntas e as respostas, seqüenciadas, chama-se de ping-pong
  • opinião ou editorial - reflete a opinião apócrifa do veículo de imprensa (não deve ser assinado por nenhum profissional individualmente)
  • artigo - texto eminentemente opinativo, e geralmente escrito por colaboradores ou personalidades convidadas (não jornalistas)
  • crônica(br) ou crónica(pt) - texto que registra uma observação ou impressão sobre fatos cotidianos; pode narrar fatos em formato de ficção
  • nota - texto curto sobre algum fato que seja de relevância noticiosa, mas que apenas o lead basta para descrever; muito comum em colunas
  • chamada - texto muito curto na primeira página ou capa que remete à íntegra da matéria nas páginas interiores
  • texto-legenda - texto curtíssimo que acompanha uma foto, descrevendo-a e adicionando a ela alguma informação, mas sem matéria à qual faça referência; tem valor de uma matéria independente

Editorias e Cadernos

O trabalho em redações jornalísticas é geralmente dividido entre editorias temáticas, agrupando os assuntos mais comuns do noticiário. Assim como a classificação dos assuntos adequados a cada editoria pode variar.

Em jornais diários, as editorias podem ser organizadas em Cadernos e Suplementos, que são fascículos de encadernação separada incluídos no conjunto publicado e de periodicidade predeterminada.

Jornais diários de grande circulação e revistas de informação geral normalmente têm as seguintes editorias, que podem também ser tratadas em publicações especializadas:

  • - não exatamente uma editoria, mas o departamento e a equipe de reportagem e redação que tratam de assuntos diversos, como acidentes, cataclismos, intempéries, tragédias e até crimes (estes normalmente reservados para a );Geralpágina Policial
  • Local ou Cidade - assuntos de interesse local ou regional;
  • Nacional ou País - assuntos de outras localidades do país;
  • Política - às vezes, agrupada com a anterior;
  • Polícia (conhecida como "RePol") - crimes e assuntos de segurança, às vezes incluindo também ações de Defesa Civil e Bombeiros;
  • Internacional - assuntos diversos de política internacional, relações externas, diplomacia, economia internacional, cultura estrangeira e ainda assuntos diversos (como os da Geral) desde que ocorridos no exterior;
  • Economia- notícias relacionadas às atividades produtivas do país, região ou cidade onde se localiza o jornal, subdivididas em sub-editorias:
    • Macroeconomia - políticas de Estado para economia, comércio internacional, diretrizes nacional e internacionais; câmbio e divisas, políticas de integração regional;
    • Mercado Financeiro - indicadores financeiros, mercado de ações, bancos;
    • Empresas - negociações entre empresas, balanços, expectativas de faturamento;
  • Cultura - todas as manifestações culturais da sociedade, Cinema, Teatro, Literatura, Artes Plásticas, Televisão, Música, Quadrinhos, etc.;
  • Ciência & Tecnologia- temas de interesse acadêmico-científico e de tecnologia industrial; pesquisas e descobertas científicas, inovações tecnológicas, economia e empresas de setor de alta tecnologia;
  • Esporte - todas as modalidades esportivas, competições, contratações, treinamentos e variedades sobre atletas e personalidades do Esporte;
  • Turismo - roteiros de viagem, serviços sobre destinos turísticos;
  • Automobilismo - automóveis e outros veículos motorizados, incluindo aquáticos, como lanchas e jet-skis; às vezes, inclui-se até aviação;
  • Comportamento, Saúde, Família e Moda - assuntos diversos sobre comportamento social, consumo, relacionamentos, saúde e medicina;
  • Educação e Vestibular - temas educacionais, pedagógicos e educativos, auxílio a material didático e pesquisa escolar, calendários de provas de acesso universitário e concursos públicos;
  • Infantil e Feminino - cadernos especializados em assuntos estereotipadamente associados a gênero e faixa etária;
  • Coluna Social ou Imprensa Rosa - notas e comentários sobre vida em sociedade, geralmente sobre indivíduos de alto poder aquisitivo e "celebridades";
  • Classificados, Imóveis e Empregos - anúncios pequenos, geralmente pagos por indivíduos.

Jornais de grande porte também costumam ter editores específicos para a Arte e a Fotografia.

Situação dos jornalistas no mundo

Em diversos países de regime democrático, o trabalho jornalístico é protegido por lei ou pela constituição. Isto inclui, muitas vezes, o direito de o jornalista preservar em segredo a identidade de suas fontes, mesmo quando interpelado judicialmente.

O artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem estabelece normas para a liberdade de expressão e de imprensa.

No entanto, segundo a organização Repórteres sem Fronteiras (Reporters Sans Frontières), 42 jornalistas foram mortos no ano de 2003, principalmente na Ásia, enquanto outros 766 estavam presos.

O futuro do jornalismo passa pela adequação dos profissionais da área às novas mídias emergentes. Todo bom profissional não poderá deixar de observar esses novos meios. O profissional tem de se adaptar aos novos mecanismos das tecnologias, além disso ele precisa ser polivalente para continuar no mercado.

A independência dos profissionais da área tem sido um grande debate, o que pode ser observado no livro "O que é Jornalismo" (Brasiliense, 1980), de Clóvis Rossi.

"Jornalismo, independentemente de qualquer definição acadêmica, é uma fascinante batalha pela conquista das mentes e corações de seus alvos: leitores, telespectadores ou ouvintes. Uma batalha geralmente sutil e que usa uma arma de aparência extremamente inofensiva: a palavra, acrescida, no caso da televisão, de imagens. Entrar no universo do jornalismo significa ver essa batalha por dentro, desvendar o mito da objetividade, saber quais são as fontes, discutir a liberdade de imprensa no Brasil."

Situação dos jornalistas no Brasil

O primeiro sindicato de jornalistas no Brasil foi fundado em 1934, na cidade de Juiz de Fora. Quatro anos depois, houve a primeira regulamentação da profissão. Conforme disposto na Lei de Imprensa de 9 de fevereiro de 1967, o diploma de curso superior de Jornalismo foi obrigatório para o exercício da profissão, por força de lei, até a exigência ser extinta por determinação do Supremo Tribunal Federal em 2009. Atualmente, há cerca de 120 cursos de graduação na área, formando quase 5.000 jornalistas a cada ano em todo o país. Diversas empresas de comunicação, para cortar custos, têm substituído jornalistas experientes por recém-formados ou estagiários, que recebem pagamento menor para executar o mesmo trabalho. Muitos sindicatos brasileiros reclamam que o excesso de mão-de-obra disponível provoca a desvalorização dos salários da categoria.

Segundo cadastro da Federação Nacional de Jornalistas — entidade que reúne todos os sindicatos de jornalistas brasileiros — havia cerca de 20 mil jornalistas com carteira assinada (empregados) no Brasil em 2003. Destes, mais de 6.300 (30%) estavam no estado de São Paulo.

De acordo com pesquisa do Sindicato dos Jornalistas paulista, com base em dados de 1999 do Ministério do Trabalho, a remuneração média paga aos profissionais da categoria no país era de R$ 1.988 (ou US$ 710). A melhor média salarial era dos funcionários de agências (US$ 982), seguidos pelos jornalistas de jornais (US$ 727), revistas (US$ 622), televisão (US$ 616), assessores de imprensa (US$ 256) e os radialistas (US$ 203).

 Referências bibliográficas

  • BONNER, William. "Jornal Nacional. Modo de fazer" , Rio de Janeiro, 2009
  • ABRAMO, Cláudio. A Regra do Jogo, São Paulo: Companhia das Letras, 1988
  • ALTMAN, Fábio (org.). A Arte da Entrevista, São Paulo: Scritta, 1995
  • AMOROSO LIMA, Alceu. O Jornalismo como Gênero Literário, São Paulo: Edusp, 1990
  • AUBENAS, Florence & BENASAYAG, Miguel. La Fabrication de L'Information: les journalistes et l'idéologie de la communication, Paris: La Découverte, ano?
  • BADARÓ, Líbero. Liberdade de Imprensa, São Paulo: Parma, 1981
  • BOND, Fraser. Introdução ao jornalismo, Rio de Janeiro: Agir, 1962
  • BUCCI, Eugênio. O peixe morre pela boca, São Paulo: Scritta, 1993
  • CAPOTE, Truman. A Sangue Frio, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1966.
  • COIMBRA, Oswaldo. O Texto da Reportagem Impressa, São Paulo: Ática, 1993.
  • DIMENSTEIN, Gilberto, e KOTSCHO, Ricardo. A Aventura da Reportagem, São Paulo: Summus
  • DINES, Alberto. O Papel do Jornal, São Paulo: Summus, 1986
  • FUSER, Igor. A Arte da Reportagem, São Paulo: Scritta, 1996
  • KOTSCHO, Ricardo. A Prática da Reportagem, São Paulo: Ática, 1986
  • LAGE, Nilson. Estrutura da notícia, São Paulo: Ática, 1985
  • LAGE, Nilson. A reportagem - Teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística, Rio de Janeiro: Record, 2001.
  • LUSTOSA, Elcias. O texto da notícia, Brasília: UnB, 1996.
  • MARX, Karl. A Liberdade da Imprensa, Porto Alegre: L&PM, 1980
  • MEDINA, Cremilda. Notícia, um produto à venda, São Paulo: Alfa-Ômega, 1978.
  • MELO, José Marques de. Normas de Redação de Cinco Jornais Brasileiros, 1972, USP
  • RODRIGUES, Marcus Vinicius. O Papel do Web Jornal, Porto Alegre: EdiPUC-RS.
  • RUFFIN, François. Les Petits Soldats du Journalisme, Paris: Les Arènes, ano?
  • SODRÉ, Muniz e FERRARI, Maria Helena. Técnica de Redação: o texto no jornalismo impresso, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982.
  • SODRÉ, Muniz e FERRARI, Maria Helena. Técnica de Reportagem: notas sobre a narrativa jornalística, São Paulo: Summus, 1986.

Periódicos em português

De países que têm o português como idioma oficial ou principal:

 Periódicos em outras línguas

 Jornalistas lusófonos

Referências

  1. ↑ Associação Nacional dos Jornais. Página acessada em 31/07/2010.abcdefghiJornais:Breve história.
  2. Catarina Moura, Universidade da Beira Interior: O Jornalismo na era "Slashdot" Janeiro de 2002, recuperado 24 de Agosto 2011

 Ver também

 Movimentos

 Ligações externas

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jornalismo
Esta página foi modificada pela última vez à(s) 19h15min de 28 de outubro de 2011.

NÃO PERMITIREMOS QUE COMPREM A DEFENSORIA PÚBLICA

 

 

Só sei que nada sei, assim falou Socrates, o que deveria espelhar se as autoridades do nosso País. Infelizmente estão de forma vergonhosa utilizando – se da Copa do Mundo e Jogos Olimpicos para impedir que direitos conquistados pelo Cidadão sejam exercidos e o pior os Orgãos que tem atribuições específicas estão comungando dessas artimanhas, dilacerando a Sociedade (diga se trabalhadores), da economia informal gerando mais uma vez a violência social oficializada pelo poder público para, o fortalecimento de outra violência, a do desemprego da fome da miséria. Nós do virtuallyton apóia qualquer iniciativa que seja de promoção à qualidade de vida e garantias de direitos do Cidadão, no momento que recebemos esta matéria nos sentimos compromissados na defesa de um ministério público para o público para o povo de todas as classes e contra os interesses do capitalismo. Não somos contra as realizações dos Campeonato Mundial de Futebol e Jogos Olimpicos, até porquê somos divulgadores de culturas, contudo não vamos ficar calados diante da falta de respeito ao cidadão e  ao Rio de Janeiro e ao Brasil.

 

POR UMA DEFENSORIA COMPROMETIDA COM A VIDA E COM A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA

A cidade do Rio de Janeiro passa por momento único em sua história com os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Este momento, marcado por grandes intervenções urbanísticas que visam possibilitar tais eventos, deixam um legado de destruição.

Pela primeira vez na história do nosso estado e da capital do Rio de Janeiro as três esferas de Poder político – Federal, Estadual e Municipal- estão juntos no que chamam de pacto federativo, com bilhões de recursos da União aplicados no Estado. Isto tinha que significar desenvolvimento dos valores humanos e garantia dos Direitos Sociais. Ao contrário disto, estes bilhões têm servido ao desenvolvimento do capital, da especulação imobiliária e da criminalização da pobreza.

 

A cidadania está agonizando no Rio de Janeiro!

 

Todas as conquistas institucionais dos Movimentos sociais ao longo das últimas duas décadas estão sendo varridas para o ralo pela correnteza do “Pacto Federativo”, que empodera o Prefeito Eduardo Paes para que se despeje, remova, altere legislação urbanística a serviço da especulação; empreenda incursões do Choque de Ordem em flagrante atentado ao estado democrático de direito; proceda a mais perversa exclusão espacial criando guetos periféricos; expulse do convívio da classe média e das áreas “valorizadas” os empobrecidos; declare guerra às ocupações organizadas pelo movimento social; persiga o trabalhador informal e realize arbitrariedades contra os moradores em situação de rua.

Estamos vivendo em um Estado de Exceção onde o capital por meio dos governantes e “apoio”de grande parte da mídia, vêm dinamitando O Estado Democrático de Direito e as Instituições Públicas que tenham na sua missão a defesa dos Direitos Sociais

Para impedir qualquer chance de vitória de suas vítimas no Judiciário o Prefeito Paes reuniu com juízes das varas de Fazenda Pública do Estado, com membros do Ministério Público e com o Presidente do Tribunal, com o motivo (publicado pelos jornais) de informá-los de como se dariam as remoções e desapropriações, e de garantir que não fosse concedida qualquer liminar que buscasse proteger o direito à moradia das comunidades atingidas.

 

AGORA É A VEZ DA DEFENSORIA PÚBLICA! Não basta para eles impedir decisões judiciais favoráveis aos empobrecidos. Agora buscam impedir o acesso a Justiça!!!!

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, primeira do Brasil, tem cumprido o papel histórico de vanguarda na sua Organização Institucional em defesa dos direitos dos empobrecidos. Sua atuação vem orientando a criação e organização de Defensorias em vários Estados. A instituição de Defensorias Públicas e a defesa da dignidade humana prescritos na CRFB encontraram eco na DPRJ que reconhecendo o antagonismo entre lucro e vida, tem se aproximado cada vez mais do Art 6° da Constituição e seus Direitos Sociais. Em cumprimento de sua missão aproximou-se das organizações cidadãs de seus assistidos e organizou-se em núcleos de atendimentos especializados em causas coletivas.

 

Nesta conjuntura de ataque organizado a massa excluída, a Defensoria Pública transformou-se em importante trincheira de resistência do povo em luta por Justiça. Isto a transformou em alvo da tirania.

 

O slogan que levou o atual Defensor Geral ao Poder – DEFENSORIA PARA OS DEFENSORES - é o retrato de um retrocesso orquestrado. A pessoa certa no lugar certo, na hora certa. Comprometido apenas com as melhorias de carreira e com seus apaniguados cumpre com maestria e truculência a missão de desmonte da Instituição Democrática e de avanço do projeto de exclusão e extermínio em curso no Estado do Rio de Janeiro.

 

QUEREM IMPEDIR NOSSA DEFESA !!!!

Para merecer o apoio e aplauso do Executivo, o Defensor Geral vem executando o extermínio progressivo dos focos de resistência institucional, que eram o Núcleo de Terras, o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos e o Núcleo do Sistema Penitenciário. Ainda, para realizar essas mudanças com mais facilidade, foi preciso minar o projeto de ouvidoria externa, uma luta histórica da sociedade civil, elegendo pessoas internas (!) a instituição, quais sejam dois defensores públicos aposentados.

 

O ápice desta política se deu na manhã do dia 29 de abril de 2011, quando a sala onde eram feitos os atendimentos do Núcleo de Terras teve sua porta fechada, com a presença de seguranças, com o propósito de impedir o acesso dos Defensores e estagiários àquela dependência, sem que fosse dada qualquer explicação. Até mesmo a guarda municipal foi chamada para tentar retirar os estagiários que questionaram essa decisão, à força! Posteriormente todos os estagiários foram SUMARIAMENTE DEMITIDOS, avisados de tal ato por um telegrama!

 

A DEFENSORIA PÚBLICA É CONQUISTA DO POVO ORGANIZADO, EM LUTA PERMANENTE POR JUSTIÇA E PELOS DIREITOS SOCIAIS !!!

EXIGIMOS RESPEITO E FORTALECIMENTO DOS NÚCLEOS ESPECIALIZADOS E ELEIÇÃO DECENTE DA OUVIDORIA EXTERNA !!! NÃO AS REMOÇÕES!!! TERRA E MORADIA NÃO É MERCADORIA!!!!

--
MOVIMENTO NACIONAL DE LUTA PELA MORADIA -MNLM-RJ
Lurdinha
Coordenação Nacional - MNLM/Brasil
Cel: (21)8367-5897
--
Heitor Ney Mathias da Silva
Professor da Fac. de Administração da UNISUAM;
Doutorando em Planejamento Urbano e Regional (UFRJ-Brasil);
Pesquisador Laboratório Espaço e Tecnologia  (IPPUR-UFRJ).




--
JORGE LUIS DE SOUZA BARATA

 

notas sobre

BNDES - DÍVIDA PÚBLICA – BANCOS

INTRODUÇÃO

Por meio dos bancos públicos e dos fundos de pensão, os últimos governos têm derramado dinheiro público para grandes empresas nacionais e estrangeiras, principalmente  empreiteiras, agronegócio, e empresas de Eike Batista. Patrocinam, com dinheiros públicos, a criação de gigantescos conglomerados, que passaram a ter grande influência na economia.

O BNDES privilegia os grandes grupos e destina uma pequena fatia para as micro, pequenas e médias empresas (MPMes). Recentemente destinou bilhões de reais para a megaoperação de fusão do grupo Pão de Açúcar com o Carrefour, que acabou se frustrando pela ação do grupo francês Casino. Em 2010 liberou R$ 45,6 bilhões (27%) para as MPMes de um total de R$ 168,4 bilhões que o banco concedeu de empréstimos. Financiou grandes empresas com juros subsidiados, para aquisição de outras empresas no exterior, gerando riqueza e empregos em outros países e nenhum no Brasil.

Exemplo emblemático foi o financiamento concedido à AMBEV, para comprar uma empresa na Argentina. Logo depois, o controle acionário foi transferido para os belgas.

A DÍVIDA PÚBLICA

Antes de discorrer sobre o BNDES, é preciso lembrar a evolução da dívida pública. O Brasil, desde o advento do Estado, carrega dívidas, exceto no pós Segunda Grande Guerra, com o governo Vargas deixando créditos junto aos EUA e ao Reino Unido. Entretanto, o governo sucessor de Eurico Gaspar Dutra cedeu às pressões dos embaixadores dos dois países e dilapidou os créditos com a compra de quinquilharias (esferográficas, iô-iôs, rádios de pilha) junto aos EUA e o rebotalho da Estrada de Ferro Leopoldina, da Inglaterra que, pelo contrato, em poucos meses seria transferido para o Estado, de graça.

O crescimento da dívida nas últimas décadas é constante e veloz. Ultrapassamos, com total desconhecimento da população e desinteresse dos partidos políticos e sindicatos, a casa do TRILHÃO. Em fevereiro/2010, chegou a mais de 2 TRILHÕES de reais. O governo passado orgulhava-se por manter uma reserva financeira de mais de duzentos bilhões de dólares (hoje Us$ 300 bi), pela qual recebe juros de até 1%, mas pagou até 12,5% para captar. E apresentava, como o atual, um valor menor da dívida, utilizando uma conta de chegar, a tal dívida líquida.

No cálculo governamental, apresenta-se o total da dívida menos o que deverá receber, isto é, os créditos no exterior e o total de “empréstimos” ao BNDES, disfarce para aporte de capital, a fim de não incluir na dívida pública. No primeiro caso, temos US$ 300 bilhões, para os quais teve que pegar R$ 500 bilhões no mercado, pagando juros da taxa SELIC. Mas essas reservas cambiais estão aplicadas a juros negativos, além de ter que considerar a desvalorização do dólar. Resumo: paga-se 12% para captar e recebe juros negativos. Da mesma forma, os “créditos” junto ao BNDES: R$ 230 bilhões em apenas dois anos, de aporte de capital que o governo maquiou como “empréstimo” para não computar na dívida líquida, posto que emitiu títulos. Pagou  juros SELIC, 12%, e o banco empresta à TJLP, 6%.  Em julho último, o Tesouro iniciou captação de R$ 55 bilhões para “emprestar” ao banco, nas mesmas condições anteriores. Parte será aplicada pelo PSI-Programa de Sustentação do Investimentos, cobrando taxa de 5,5%.

O portal “vermelho.org.br”, apresenta estudos dos importantes economistas Rodrigo Ávila e Maria Lucia Fatorelli, que a seguir transcrevo um trecho:

A dívida pública brasileira consumiu R$ 7 trilhões em 17 anos. De acordo com os dados levantados pela Auditoria Cidadã da Dívida, nos quatro mandatos correspondentes aos governos FHC e Lula – de 1995 a 2010 – estes gastos somaram mais de R$ 6,8 trilhões. Porém, assustadoramente, o país segue devendo pouco mais de R$ 3 trilhões. Dados do Senado Federal indicavam que os gastos da União com juros, amortizações e refinanciamento da dívida representam 52,7% do orçamento executado em 2011, mais de R$ 500 bilhões, ou seja, mais de R$ 2,2 bilhões por dia.”...Prossegue: “...no Brasil a  relação dívida/PIB é de 70%, é aparentemente confortável. No entanto, o que torna a situação brasileira mais perigosa é o fato do perfil da dívida ser muito concentrado no curto prazo.”                                                                                                                        

Na realidade, o Brasil gasta mais de 50% do orçamento com a dívida pública. Além das

privatizações que têm ocorrido. Há projetos na Câmara dos Deputados para a privatização da Previdência e uma Medida Provisória para privatizar os Correios, Além das privatizações realizadas no atual governo, aeroportos e estradas, o BNDES pratica a mais criminosa forma de privatização: em dinheiro vivo. Concede empréstimos subsidiados para empresas aumentarem seus respectivos capitais e adquirirem outras empresas.

BNDES

O festival de privatizações que o BNDES e outros bancos públicos praticam, é imoral, pernicioso, escandaloso. Farei um artigo específico, pois há muitas coisas graves, como o  do Banco Panamericano. Agora, citarei apenas alguns exemplos entre inúmeras aberrações.

O Banco Votorantim, que atua em vários segmentos da economia, estava falido. A operação para salvá-lo foi um escracho: o Banco do Brasil comprou 49,99% do capital votante pagando o preço de todo o banco. E o BNDES concedeu R$ 2,4 bilhões para a Votorantin Papel e Celulose comprar ações da Aracruz Celulose, que estava em dificuldade.

As empreiteiras levaram vantagens absurdas. Com recursos do BNDES passaram a atuar em vários segmentos como petroquímica, agronegócio, mineração, telecomunicações, produção de etanol, petróleo, saneamento, açúcar, energia elétrica, rodovias...

Alguns exemplos: a Andrade Gutierrez, dona da Telemar, que é dona da OI, que comprou a Brasil Telecom graças ao BNDES ter emprestado R$ 2,6 bilhões em 2008 e R$ 4,4 bilhões em 2009. Na operação, houve denúncias de doações a parentes de pessoas influentes no governo. Essa empreiteira, graças às bondades do BNDES, tem hoje mais as seguintes empresas: Dominnó Holding S.A., Water Port S.A., Corporación Quiport, CCR-Cia. de Concessões Rodoviárias, RME-Rio Minas Energia. Da mesma forma a Odebrecht, a Camargo Correa, a Mendes Junior, a Queiroz Galvão.

A oligopolização do setor de supermercados começou com FHC e não parou nos últimos anos, inclusive com invasão de estrangeiros que engoliram redes nacionais.

A JBS Friboi (carne bovina), obteve empréstimo de uma só vez de R$ 7,5 bilhões e entrou no mercado de capitais em 2007. Adquiriu a Swift Armour Argentina, a Swift Fiids & Co. dos EUA, a Inalca (Itália) e a Tatiara Meat Company da Austrália. Emitiu debêntures e o BNDESPar adquiriu 65%  por R$ 2,2 bilhões. E mais: em 2009, emprestou à Bertin a fábula de R$ 5,7 bilhões, logo depois comprada pela JBS, surgindo uma nova holding, que comprou a Pilgrim”s Pride. Para isso, lançou debêntures no total de R$ 3,4 bilhões e 99% foram compradas pelo BNDES. Essas operações não criaram sequer um emprego no Brasil.

Após receber R$ 100 bilhões do governo, que captou pagando juros SELIC, o BNDES liberou R$ 2,5 bilhões para a Sadia e à Perdigão fundirem-se. Surgiu a gigante BRF Brasil Foods. A Perdigão controla 68% da nova empresa e a Sadia 32%. Antes, a Perdigão comprara a Batavo, a Avipal e a Cotoches. Em 28/11/2010, o CADE-Conselho Administrativo de Defesa Econômica, concluiu estudos em que detectou várias irregularidades de formação de cartel e aplicou Termos de Compromisso de Cessação de Condutas-TCC, impondo inclusive pagar contribuições de R$ 13, 7 milhões, R$ 1,37 milhões e R$ 1,37 mil.

Em novembro/2008 o banco comprou R$ 250 milhões de ações do Frigorífico Independência, anunciando mais R$ 250 milhões para março, quando, no dia primeiro de março, o frigorífico faliu (Recuperação Judicial).

Assim, o BNDES engorda os patrimônios dos acionistas das empresas. Mas em infraestrutura é tímido. Em 2009, o orçamento federal contemplou a rubrica saneamento com R$ 3,1 bilhões, mas foram gastos apenas R$ 1,6 bilhão. Em sete anos, a rede de esgotos no Brasil, cresceu apenas quatro pontos percentuais.

            Financia com R$ 660 milhões, a construção de uma estrada nos Andes, que corta reservas indígenas. Há forte resistência dos indígenas bolivianos.

            Em julho último, o Tesouro foi autorizado a se endividar em R$ 55 bilhões, para entregar ao BNDES. Além dos R$ 230 bilhões anteriores. Portanto, é dinheiro público. O governo aumenta a dívida lançando títulos a 12,5% de juros e emprestando a 6%, a empresas escolhidas a dedo. No primeiro semestre deste ano, o rombo nas contas públicas já era de R$ 35 bilhões. E pagou R$ 100 bilhões pelo serviço da dívida.

O banco recebe também dinheiros do FAT-Fundo de Amparo aos Trabalhadores, além dos rendimentos de aplicações e os abatimentos dos empréstimos.

Mas continua econômico em investimentos em infraestrutura.

Nos governos militares, houve essa mesma política de subsidiar a criação de grandes grupos empresariais que deveriam, principalmente, atuar no mercado externo. Houve grandes calotes, que engordaram a dívida pública. O banco, criado em 1952 sem o S, apenas BNDE, objetivava, principalmente, conceder financiamentos de longo prazo para incentivar a industrialização e investimentos pára melhoria e criação de portos, aeroportos, ferrovias, rodovias, comunicações e saneamento. Infelizmente, nos últimos anos, tem sido usado para privilegiar certos grupos econômicos.

Isso ficou bem explícito com a fracassada operação Pão de Açúcar, para a qual destinou R$ 3,9 bilhões para aumento de capital, visando à fusão com o Carrefour.  A junção de duas grandes redes de supermercado é operação que nada tem a ver com as finalidades de um banco de fomento. Usou o argumento cínico de que é um setor estratégico. E o banco ainda seria sócio minoritário de um truste dominado por capital estrangeiro. Seria outra grande picaretagem como a do JBS-Friboi, acima descrita.

Há razões de sobra para uma campanha para enquadrar o BNDES em suas finalidades e para que o governo deixe de usá-lo como biombo para grandes negociatas.

BANCOS

Os bancos vêm se superando a cada ano; sempre apresentando lucro recorde, exageradamente superior aos anos anteriores, enquanto a Petrobras foi a empresa que mais perdeu em valor de mercado: Us$ 53 bilhões em 2010, segundo o sítio “Economática-Radar on Line”. O Bradesco cresceu, passando do sétimo para o sexto lugar entre os 10 principais bancos das Américas, ultrapassando o Goldman Sachs.  A cada ano, alternam-se em maior crescimento, os brasileiros Bradesco, B.Brasil e Itaú. Em 2009, entre os 25 bancos com ações mais rentáveis das Américas 9 eram brasileiros. O LUCRO DOS NOVE PRINCIPAIS BANCOS NO BRASIL, ATINGIU OS R$ 174,075 BILHÕES, OU R$ 199 BILHÕES, CORRIGIDOS.

 ENTRE 2003 E 2010, O CRESCIMENTO DOS BANCOS FOI DE 550% (QUINHENTOS E CINQÜENTA POR CENTO) SOBRE O PERÍODO 1995/2002. O BIC BANCO CRESCEU SUA RENTABILIDADE EM 535% (QUINHENTOS E TRINTA E CINCO POR CENTO) E OS OUTROS TRÊS COM MAIORES RENTABILIDADE, PELA ORDEM, FORAM O PANAMERICANO, O BANRISUL E O BRASIL. Na década, os bancos mais rentáveis das Américas foram o Banco do Brasil, o Itaú-Unibanco e o Bradesco.

A rentabilidade dos bancos no Brasil é mais que o dobro dos EUA.  21,75% x  8,91%. (Folha de S.Paulo 25/8/2008). Entre os quatro maiores do Brasil e os quatro maiores dos EUA, a diferença é de quatro vezes: 28,5% contra 7.1%; 

No primeiro trimestre/2011, o Bradesco obteve o histórico e recordista lucro de R$ 2,1 bilhões. Na década passada, foi o terceiro maior, com R$ 4,020 bilhões em 2009, só superado pelo BB em 2008, R$ 4,040 bilhões e Itaú em 2007 com R$ 4,86 bilhões.

A partir do Plano Real, o número de bancos brasileiros foi drasticamente reduzido. Os privados passaram de 56,9% para 42,6%; os públicos, de 33,5% para 24,31%, enquanto os estrangeiros.passaram de 9,6% para 33,1%. Cresceu também a participação de estrangeiros nos bancos nacionais. A FEBRABAN e alguns economistas, dizem que isso é “fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional”(sic).

A política de Lula foi a mesma de FHC: o Estado fica com os prejuízos e os ganhos ficam com os magnatas. É capitalismo sem risco, bancado pelo Estado, problema histórico no Brasil; prática constante em governos de direita e de “esquerda”.

EM SETEMBRO DE 2011

RONALD SANTOS BARATA

 

 O VIRTUALLYTON.ORG INICIA UMA NOVA PÁGINA, VIRTUALLYTONNEWS COM OS PRINCIPAIS JORNAIS DO BRASIL E DO MUNDO E VÍDEOS D YOUTUBE. OS PRINCIAPAIS JORNAIS DO RIO DE JANEIRO - SÃO PAULO - BAHIA - PRNAMBUCO - RIO GRANDE DO SUL - PARANÁ E MAIS ALEMANHA - INGLATERRA - ITALIA - ESPANHA - PORTUGAL E MUITOS OUTROS.

ACESSE E CONFIRA

http://correionago.ning.com

 

h

PRINCIPAIS JORNAIS DO BRASIL

BAHIA
Correio da Bahia
A Tarde
A Região
The Brazilian - p/ bras. no exterior

ESPÍRITO SANTO
Gazeta Online
Jornal Acontece (Serra)

SERGIPE
Gazeta de Sergipe

MATO GROSSO
Diário de Cuiabá
Midianews

MATO GROSSO DO SUL
A Crítica de Campo Grande
Correio do Estado

AMAZONAS
A Crítica
Em Tempo
Jornal do Comércio
Diário da Amazônia

GOIÁS
O Popular
Diário da Manhã

MARANHÃO
O Estado do Maranhão
O Imparcial

ALAGOAS
Gazeta de Alagoas
Jornal de Alagoas

ACRE
A Gazeta
A Tribuna
O Rio Branco
Página 20

CEARÁ
O Povo
Diário do Nordeste
Aracati Online

RORAIMA
Folha de Boa Vista

RIO DE JANEIRO
O Dia
O Globo
Jornal do Brasil
Jornal do Commercio
A Tribuna da Imprensa
Folha Dirigida
A Voz da Serra
Diário do Vale (Volta Redonda)
Tribuna de Petrópolis
Inverta - Jornal Pra Verdade

DISTRITO FEDERAL
Correio Braziliense
Diário Oficial
Jornal de Brasília
Brasil em Tempo Real

SANTA CATARINA
A Notícia
Página 3 (pago)
Jornal O Município
Tribuna Catarinense
Jornal Metropolitano
Diário do Litoral

Jornal A Crítica

RIO GRANDE DO SUL
Zero Hora
Correio do Povo
Diário Popular
Jornal do Comércio
Jornal NH
Jornal VS
Jornal Exclusivo (Novo Hamburgo)
Diário de Canoas
A Razão
Gazeta do Sul
Minuano (Bagé)
Jornal da Cidade (Torres)
A Platéia
O Nacional
Panorama
Jornal do Turfe

PARAÍBA
O Norte
Correio da Paraíba

PERNAMBUCO
Diário de Pernambuco
Jornal do Commercio
Folha de Pernambuco

SÃO PAULO
Diário de Sorocaba
Diário do Grande ABC
Diário do Povo
Diário de São Paulo
O Estado de São Paulo
Folha de São Paulo
Gazeta Mercantil
Jornal da Tarde
A Tribuna
Cruzeiro do Sul
Folha Universal
Folha da Região
A Semana
Diário Oficial do Estado
Gazeta de Praia Grande
Jornal de Negócios
Voz da Terra
Jornal Tododia
O Patriota
Vale Paraibano
Agora São Paulo

PARANÁ
Gazeta do Povo
O Estado do Paraná
Gazeta do Paraná
Diário dos Campos
Diário da Manhã

MINAS GERAIS
Montes Claros
Jornal de Notícias
Estado de Minas
O Tempo
Hoje em Dia
Folha da Manhã
Toda Hora

PARÁ
O Liberal
O Impacto

TOCANTINS
Jornal do Tocantins

PIAUÍ
Jornal O Dia

RIO GRANDE DO NORTE
A Tribuna do Norte
Diario de Natal
O Jornal de Hoje

 

nome tipo região país
 A Crítica jornal Manaus - AM Brasil
 A Gazeta jornal Cuiabá - MT Brasil
 A Gazeta jornal Vitória - ES Brasil
 A Região jornal Itabuna - BA Brasil
 A Notícia jornal Joinville - SC Brasil
 A Tarde jornal Salvador - BA Brasil
 A Voz da Cidade jornal Barra Mansa - RJ Brasil
 A Voz da Serra jornal Nova Friburgo - RJ Brasil
 Amazonas Em Tempo jornal Manaus - AM Brasil
 Advertising Age revista New York - NY EUA
 Arizona Republic jornal Phoenix - AZ EUA
 Asahi Shimbum jornal Tóquio Japão
 Boston Herald jornal Boston - MA EUA
 Cape Argus jornal Cape Town África do Sul
 Clarin jornal Buenos Aires Argentina
 Correio Braziliense jornal Brasília - DF Brasil
 Correio da Bahia jornal Salvador - BA Brasil
 Correio da Manhã jornal Lisboa Portugal
 Correio de Uberlândia jornal Uberlândia - MG Brasil
 Correio do Povo jornal Porto Alegre - RS Brasil
 Correio Popular jornal Campinas - SP Brasil
 Diário As Beiras jornal Coimbra Portugal
 Diário de Coimbra jornal Coimbra Portugal
 Diário de Cuiabá jornal Cuiabá - MT Brasil
 Diário de Pernambuco jornal Recife - PE Brasil
 Diário de Notícias jornal Lisboa Portugal
 Diário do Amapá jornal Macapá - AP Brasil
 Diário do Nordeste jornal Fortaleza - CE Brasil
 Diário Popular jornal Pelotas - RS Brasil
 El Mundo jornal Madri Espanha
 El Pais jornal Madri Espanha
 El Publicista revista Madri Espanha
 Expresso jornal Lisboa Portugal
 Folha da Manhã jornal Passos - MG Brasil
 Folha de Pernambuco jornal Recife - PE Brasil
 Folha de São Paulo jornal São Paulo - SP Brasil
 Gazeta de Alagoas jornal Maceió - AL Brasil
 Gazeta do Oeste jornal Mossoró - RN Brasil
 Gazeta do Povo jornal Londrina - PR Brasil
 Italehti Helsink jornal Helsink Finlândia
 Jornal da Paraíba jornal Campina Grande - PB Brasil
 Jornal de Angola jornal Luanda Angola
 Jornal do Brasil jornal Rio de Janeiro - RJ Brasil
 Jornal do Commercio jornal Manaus - AM Brasil
 Jornal do Commercio jornal Rio de Janeiro - RJ Brasil
 Jornal do Dia jornal Macapá - AP Brasil
 Jornal NH jornal Novo Hamburgo - RS Brasil
 Jornal VS jornal Novo Hamburgo - RS Brasil
 La Nacion jornal Buenos Aires Argentina

 http://www.youtube.com/watch?v=p171vsufJmc&feature=player_embedded 

JORNAIS INTERNACIONAIS

BOLÍVIA
El Diario (La Paz)
Nueva Economia

CHILE
El Diario (Santiago)
El Mercurio

CUBA
Granma Internet

ESTADOS UNIDOS
California

Los Angeles Times

Florida
The Miami Herald

Illinois
Chicago Sun-Times
Chicago Tribune
The Daily Herald (Chicago)

Colorado
Inside Denver
Denver Post

Massachusetts
The Boston Globe
Boston Herald
Boston Phoenix

New York
Daily News
New York Post
The New York Times
The Wall Street Journal

North Carolina
Nando Times

Washington D.C.
The Hill
The Washington Post
The Washington Times

Virginia
USA Today (Arlington Virginia)

INGLATERRA
The Church Times
Daily Mirror
Daily Star
The Daily Telegraph
Financial Times
The Observer
The Sunday Times
London Daily

PAÍSES BAIXOS
Eindhovens Dagblad
De Groene Amsterdammer
Rotterdams Dagblad
De Telegraaf

PERU
Caretas
El Comercio
Expreso Online
La Industria (Trujillo)
Libero
Radio Programas del Perú
La Republica

POLÔNIA
Gazeta Wyborcza OnLine
Gazeta Bankowa
Zawsze Aktualny Serwis Prasowy
Gazeta poznanska
G³os Wielkopolski
Rzeczpospolita
Tempo
The Warsaw Voice
¯Ycie Warszawy
Dziennik Polski (Algarve)

VENEZUELA
2001
Diario de Chacao (Caracas)
Il Corriere di Caracas
Economía Hoy (Caracas)
Diario del Lago (Maracaibo)
Diario Meridiano
El Metropolitano (Caracas)
Noticiero Online
El Nacional
El Universal
Venezuela Online News

VATICANO
Vatican News

COLÔMBIA
El Colombiano
Colombia Daily
Economía Hoy
El Espectador
El Heraldo
El Mundo
El Nuovo Dia
El Pais
La Republica
El Tiempo

FRANÇA
Agence France-Presse
L'Express
L'humanité
Libération
Lyon Capitale
Le Monde
La Tribune Desfossés

ALEMANHA
Berliner Morgenpost (Berlin)
Berliner Zeitung (Berlin)
Bild Online (Hamburg)
Frankfurter Allgemeine (Frankfurt)
Frankfurter Neue Presse (Frankfurt) Haidhauser Nachrichten (Munich)
Prinz (Munich)
Neue Westfälische Zeitung (Bielefeld)
Der Spiegel (Hamburg)

HONG KONG
Apple Daily
Hong Kong Commercial Daily
Hong Kong Standard
Ming Pao Daily News
Sing Tao
South China Morning Post

ISRAEL
Ariga
Globes
HaAretz
Jerusalem Post

ITÁLIA
Corriere della Sera 
La Gazetta dello Sport
Il Giorno (Milano)
Liberta
Il Manifesto (Roma)
Il Mondo
La Repubblica
La Stampa (Turino)

JAMAICA
Jamaica Daily Gleaner

JAPÃO
Japan Times

The Kyoto Shimbun
The Sankei Skimbun
Tokyo Kaleidoscoop
Jornal International Press

MÉXICO
El Economista (Mexico City)
Excelsior (Mexico City)
El Heraldo de Mexico (Mexico City)

PORTUGAL
Diario de Coimbra
Jornal de Coimbra
Comunicação Social / Jornais
Diário de Notícias
Expresso
Jornal de Noticias
The News
Público
Região Sul (Algarve)

RÚSSIA
Izvestia
Russian Story
Russia Today
Vladivostok News

ESCÓCIA
Daily Record/Sunday Mail (Glasgow)
Electronic Herald (Glasgow)
Evening Telegraph (Dundee)
Evening Times (Glasgow)
The Guardian
The Scotsman (Edinburgh)

ESPANHA
El Comercio
El Correo
El Diario Vasco
Gaceta de los Negocios
El Pais Digital
La Vanguardia

URUGUAI
Cronicas Economicas
El Observador
EL PAIS edicion digital